É Possível Fazer o Gerenciamento de Equipe Remotamente?

É possível fazer gerenciamento de equipe remotamente?

A história da Ignição Digital começou justamente com o desafio de gerenciamento de equipe remotamente. Na época, eu morava em Londres e meu irmão aqui no Brasil. E deu tão certo que ainda hoje continuamos adeptos desse tipo de relação trabalhista: metade da minha equipe vem todos os dias para o escritório de Brasília e outra parte está espalhada pelo país.

Já deu para perceber que a minha resposta à pergunta que dá o título a este post é: sim, dá para fazer o gerenciamento de equipe remotamente. Inclusive, essa é uma tendência cada vez mais crescente no mercado.

Dicas para fazer o gerenciamento de equipe remotamente

Visto o meu negócio ter sido bem-sucedido, muitas pessoas costumam me perguntar como fazer o gerenciamento de equipe remotamente, de modo que os colaboradores apresentem o mesmo grau de produtividade e comprometimento. Na verdade, eu deixo essa tarefa nas mãos da Priscila, profissional especialista em gestão de pessoas. Eu estive com ela para saber mais sobre esse processo e ela revelou quatro dicas para fazer isso de maneira eficaz.

1. Tenha uma metodologia de trabalho

A metodologia de trabalho determinará como serão os processos no ambiente de trabalho. Como em nossa empresa contamos com áreas diferentes trabalhando presencial e remotamente, temos um modelo para cada equipe.

Por exemplo, com o suporte, que é alocado fora da empresa, usamos a escala de trabalho, em que as funções e responsabilidades são definidas e os profissionais a seguem. Tudo isso está documentado em um manual de consulta e também no nosso culture code.

Já no escritório, utilizamos o SCRUM. Funciona basicamente assim: os times se reúnem para definir determinado objetivo no início da semana e, na sexta-feira, por exemplo, fazem outro encontro para verificar se atingiram isso ou não. Mas o andamento dos projetos fica visível para todos acompanharem.

CLIQUE e baixe o ebook!

Para isso, utilizamos esquema de post-its que são fixados num quadro em três grupos: no primeiro, são colocados os papéis com as tarefas que ainda estão Para Fazer, no segundo, as que estão Fazendo e na última as que estão Prontas. Assim, é possível verificar o movimento das atividades da empresa e, caso algum projeto esteja parado, entender o motivo.

Fazemos esse controle também com as pessoas que trabalham em casa, por meio de ferramentas on-line. Existem várias, mas usamos o Jira Agile (exceto a equipe de marketing, que usa o Trello), que é gratuito até determinada quantidade de usuários. Por ela, é possível saber o que está sendo feito e quem está executando ou não, monitoramento que acontece em tempo real.

Interessou-se em colocar o Scrum na sua empresa?  Sugerimos a leitura do livro Scrum: A arte de produzir o dobro na metade do tempo.

2. Ferramenta única de comunicação

Antes usávamos o Skype para viabilizar a comunicação entre as equipes, mas agora mudamos para o Slack. Criamos grupos para incluir as pessoas naquela conversa, independentemente de estarem trabalhando presencial ou a distância. A ferramenta permite também fazer ligações.

Por que não continuamos com o Skype? Porque os grupos não estavam se organizando bem por lá e então resolvemos optar por outra ferramenta. Pelo Slack é mais fácil encontrar algum arquivo ou conversa. Outra vantagem é dividir a vida profissional da pessoal.

3. Reports diários

Essa tem muito a ver com a metodologia de trabalho. Como nosso trabalho é linear, os líderes trocam de projeto a cada semana ou mês. Então essa pessoa é responsável por acompanhar o trabalho dos que estão trabalhando remotamente. Isso faz parte do Scrum: o responsável descreve o que o time fez no dia, resultado, meta pro dia seguinte, qual o status da semana (se vai ou não conseguir entregar tudo) e como ele mesmo está se sentindo.

O mais interessante desse processo é que testamos pequenas lideranças; quando uma pessoa se torna líder de algum projeto, podemos identificar se ela serve ou não para exercer aquela função, inclusive, no final do processo, os liderados avaliam como ela se saiu.

4. Cultura e valores

Temos os nossos valores expostos numa parede do escritório e no guia de culture code que é distribuído para todos os colaboradores.

Cultura organizacional é basicamente tudo o que a gente espera das pessoas e o que elas esperam da gente, como companhia. É uma forma de comunicação. O que está determinado é o que funciona para a empresa. Quando admitimos alguém, entregamos um guia de valores e explicamos como tudo funciona. E quando demitimos, voltamos a isso para verificar quais valores não foram seguidos, porque tudo deve ficar claro nesses momentos e as pessoas devem entender por que elas estão sendo desligadas.

Equipes remotas X Presenciais 

Entre as vantagens que destacamos em trabalhar com equipes remotas está principalmente a facilidade em encontrar os profissionais que a empresa precisa. O nosso time de desenvolvimento, por exemplo, é composto por pessoas de Recife, outras do interior de São Paulo, talentos específicos que se eu fosse procurar somente em Brasília não encontraria.

Veja o que você precisa para criar o seu negócio digital de sucesso, com um método que pode ser aplicado em qualquer segmento. CLIQUE e baixe o ebook!

Por outro lado, o trabalho presencial proporciona mais proximidade entre as pessoas, vantagem de fazer mais confraternizações, criar uma relação mais estreita. Para quem está home office, a afinidade é mais complexa e demorada.

Confira o vídeo na íntegra:

Espero que essa sacada tenha sito útil para você! Fique por aqui e obtenha outros conteúdos relevantes para seu negócio!

Fórmula de Lançamento - Inscrições Abertas

Este guia definitivo reúne a base de todas as minhas estratégias de marketing para alavancar vendas ou criar um negócio 100% digital do zero.

DIGITE SEU E-MAIL E BAIXE O SEU GUIA GRATUITAMENTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *