Vender conteúdo ou dar de graça? Descubra como decidir

Quando se fala em marketing de conteúdo, uma das perguntas que geram mais dúvidas é: vender conteúdo ou dar de graça?

Será que é possível entregar conteúdo demais?

Já sabemos que vender informação é um bom negócio. Mas como definir a linha tênue entre o conteúdo inteiramente gratuito e aquele que precisa ser adquirido de alguma maneira?

A resposta não é única e varia conforme os nichos e objetivos de cada negócio, então, cada caso precisa ser avaliado com atenção.

E qual é o primeiro passo? Definir como o conteúdo gratuito é útil para você.

Fórmula de Lançamento Ignição Digital

 

Vantagens do conteúdo gratuito

vantagens-conteudo-gratuito

 

Qual é o motivo de você estar produzindo conteúdo? Conseguir atrair a atenção do público para que o seu negócio cresça.

Com isso em mente, podemos listar os seguintes benefícios do conteúdo totalmente gratuito:

  • Atrair o seu público-alvo: quanto mais conteúdo você disponibilizar, mais oportunidades terá de atingir futuros clientes
  • Compartilhar suas ideias: com o conteúdo disponível para todos, você permite que as pessoas o compartilhem com os amigos, gerando mais atenção para você
  • Fazer contatos: se as suas ideias estiverem acessíveis a todos, será mais fácil se conectar e construir relações com colegas e parceiros da sua área
  • Mostrar à audiência o seu valor: diga às pessoas quais são os problemas que você pode ajudar a solucionar
  • Dar vantagem sobre os concorrentes: o conteúdo gratuito mostrará ao público por que ele deve conhecer você e quais as vantagens do seu produto ou serviço
  • Mostrar resultados: é a melhor maneira de você comprovar que o seu produto realmente oferece resultados
  • Revelar quem você é como pessoa: encontrando a sua própria voz, seu conteúdo mostrará às pessoas a sua personalidade

Confira também: Conheça uma estratégia de marketing de conteúdo que realmente funciona

 

O outro lado da moeda

moeda

 

A essa altura, você deve estar se perguntando: se vou disponibilizar tanta informação de graça, pelo que as pessoas vão querer pagar?

Na verdade, existem algumas circunstâncias em que é melhor acumular alguns conteúdos e disponibilizá-los apenas para os clientes que pagarem.

Vejamos que situações são essas:

  • As pessoas realmente têm interesse na informação porque ela tem muito valor. Isso geralmente acontece quando o seu conteúdo pode ajudá-las a passar por uma grande transformação.
  • A informação é difícil de se adquirir. Acredite: por mais eficiente que seja o Google, nem tudo está disponível para todos. Além disso, novas informações surgem todos os dias.

 

Por que as pessoas compram conteúdo?

comprar-conteudo

 

Isso pode lhe surpreender, mas, mesmo com a quantidade de informações disponibilizadas gratuitamente, a demanda por conteúdo pago ainda é grande.

Um dos motivos pelos quais isso acontece é porque as pessoas tendem a confiar mais em algo que foi pago do que em algo que ganharam de graça.

Além disso, as pessoas também pagam por:

  • Guias mais aprofundados, do tipo passo-a-passo
  • Acesso e conselhos personalizados
  • Exclusividade
  • Qualidade maior e tecnologia melhor
  • Experiências

Agora, você já tem uma boa noção do que pode dar e vender, mas como saber se as suas escolhas realmente são as melhores?

 

Conteúdo gratuito, mas com ressalvas

ressalvas

 

Essas dicas abaixo não se aplicam a todos os conteúdos e negócios, afinal, cada caso é diferente. Mas elas podem lhe dar uma ideia melhor de como tratar o seu conteúdo gratuito:

 

1. O conteúdo não deve ser completo demais

Não caia na tentação de responder a todas as questões ou de responder com todos os detalhes.

Além de correr o risco de “sufocar” o leitor com o excesso de informação, você ganhará menos confiança e paciência por parte do público.

 

2. Não foque muito no “como fazer”

Quando se trata de conteúdo gratuito, deve-se destacar mais “o que” e “por que”, em vez de se aprofundar no “como”.

Uma boa maneira de fazer isso é dizer apenas o essencial ou revelar apenas uma parte dos passos, deixando o resto para o conteúdo pago.

 

3. Não seja tão disponível

É claro que você precisa manter um bom relacionamento com seu público e interagir com ele. Mas isso não significa que você precisa estar disponível o tempo inteiro.

Ajude no que for possível, mas estabeleça um limite do quanto você fará por aqueles leitores que não estão pagando pelo seu conteúdo.

 

4. Não fale de assuntos muito complexos

Seu conteúdo precisa ser claro e objetivo. Se as pessoas precisarem de muito conhecimento sobre o assunto para compreendê-lo, elas logo abandonarão seu conteúdo.

Lembre-se: sua função é ajudar o público, e não deixá-lo confuso ou impressionado com sua inteligência.

 

Recapitulando

Nesse artigo, você viu:

As vantagens e desvantagens do conteúdo gratuito

Por que as pessoas ainda se dispõem a pagar conteúdo

O que um conteúdo gratuito NÃO deve ter

Agora, você poderá decidir com mais facilidade quais conteúdos disponibilizar gratuitamente e quais serão disponibilizados apenas mediante pagamento.

Fórmula de Lançamento Erico Rocha

Fórmula de Lançamento - Inscrições Abertas

Este guia definitivo reúne a base de todas as minhas estratégias de marketing para alavancar vendas ou criar um negócio 100% digital do zero.

DIGITE SEU E-MAIL E BAIXE O SEU GUIA GRATUITAMENTE

2 thoughts on “Vender conteúdo ou dar de graça? Descubra como decidir”

  1. OTIMA POSTAGEM ERICO.

    UMA DUVIDA ,SE TRATANDO DE CURSO DE VIOLAO(MINHA AREA) EXISTEM MILHARES DE BOAS AULAS NO YOUTUBE.COMO EU PODERIA VENDER UM CONTEUDO QUE TEM GRATIS NA INTERNET?

    ABRAÇO E DESDE JA MUITO OBRIGADO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *