Aprenda a Fazer o Cálculo do 13° Salário dos Colaboradores da sua Empresa

aprenda a fazer o cálculo do 13º salário dos seus funcionários

Com a aproximação do final de ano, muitos empreendedores ficam apreensivos com o pagamento de encargos e benefícios que são direito do trabalhador, como é o caso do cálculo do 13º salário dos colaboradores que atuam na sua empresa.

Para que o empreendedor não fique em maus lençóis no final do ano é importantíssimo que ele se prepare e guarde a quantia necessária para o pagamento do 13º salário durante todo o ano. Um bom planejamento financeiro é o melhor instrumento para isso.

O que é o 13º salário

Sancionado em lei pelo ex-presidente João Goulart em 1962, o 13º salário corresponde a uma correção feita no pagamento das semanas extras trabalhadas ao longo do ano e não remuneradas no mesmo período.

Isso acontece porque alguns meses do ano possuem mais do que quatro semanas e o salário mensal não contempla a variação dos dias trabalhados a mais em cada um dos meses. Se fosse assim, a remuneração devida aos colaboradores poderia variar todos os meses, dificultando o cálculo da folha de pagamento.

A forma encontrada para sanar esta distorção é o pagamento de 4 semanas a mais no final do ano. Para entender este cálculo basta fazer a seguinte conta: o ano possui 52 semanas, mas se multiplicarmos 4 semanas por 12 meses, teríamos 48 semanas. Faltam justamente as 4 semanas, ou seja, um salário a mais para o colaborador.

Vamos supor que o seu colaborador receba R$ 1.000 por mês. Dividindo esta quantia por 4 semanas, o valor da sua remuneração semanal é de R$ 250. Ao multiplicar os R$ 250 pelas 52 semanas do ano, temos a quantia total de R$ 13.000. Justamente o valor de 13 salários mensais.

É por esta razão que o pagamento da gratificação é feito proporcionalmente caso o colaborador entra ou sai da empresa antes de completar os 12 meses de trabalho.

Como calcular o quanto devo guardar para o pagamento do 13º salário

O empreendedor precisa aprovisionar o valor a ser pago como 13º salário desde o início do ano. O ideal é aprovisionar 8,33% sobre o salário bruto de todos os colaboradores mensalmente. Esta porcentagem corresponde a 1/12 do 13º. Se o empreendedor for disciplinado nesta economia, não terá dificuldades em honrar com a remuneração ao final do ano.

Contudo, é importante estar preparado para imprevistos, já que a primeira parcela pode ser requerida pelo colaborador para recebimento junto com as férias, caso elas ocorram entre fevereiro e novembro, e a empresa seja notificada por escrito no mês de janeiro do ano corrente. Deste modo o ideal é que o aprovisionamento, a partir do segundo semestre seja maior, prevendo a despesa do ano seguinte.

Gostou dessa dica? Descubra mais sobre o universo do empreendedorismo com as sacadas exclusivas da nossa newsletter. Para assiná-la basta cadastrar o seu e-mail gratuitamente na nossa página.

Fórmula de Lançamento - Inscrições Abertas

Este guia definitivo reúne a base de todas as minhas estratégias de marketing para alavancar vendas ou criar um negócio 100% digital do zero.

DIGITE SEU E-MAIL E BAIXE O SEU GUIA GRATUITAMENTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *